sexta-feira, 11 de julho de 2008

Charles Bukowski: O Pássaro azul

Tradução minha para o poema "The Bluebird" de Bukowski.


o pássaro azul

há um pássaro azul no meu peito que
quer sair
mas eu sou duro demais pra ele
eu digo, fica aí, não vou
deixar ninguém te
ver
há um pássaro azul no meu peito que
quer sair
mas eu meto uísque nele e dou um
trago no meu cigarro
e as putas e os garçons
e os balconistas dos mercados
nunca percebem que
ele está
aqui dentro

há um pássaro azul no meu peito que
quer sair
mas eu sou duro demais pra ele
eu digo,
fica quieto, você quer zoar
comigo?
quer ferrar com meu
trabalho?
quer acabar com a venda dos meus livros na
Europa?

há um pássaro azul no meu peito que
quer sair
mas eu sou esperto demais, só o deixo sair
à noite, às vezes
enquanto todo mundo está dormindo
eu digo, eu sei que você está aí
não fique
chateado
então o ponho de volta
mas ele canta um pouco
aqui dentro, não o deixei realmente
morrer
e dormimos juntos
assim
no nosso
pacto secreto
e isso é o bastante pra
fazer um homem
chorar, mas eu não
choro, você
chora?




the bluebird

there's a bluebird in my heart that
wants to get out
but I'm too tough for him,
I say, stay in there, I'm not going
to let anybody see
you.
there's a bluebird in my heart that
wants to get out
but I pur whiskey on him and inhale
cigarette smoke
and the whores and the bartenders
and the grocery clerks
never know that
he's
in there.

there's a bluebird in my heart that
wants to get out
but I'm too tough for him,
I say,
stay down, do you want to mess
me up?
you want to screw up the
works?
you want to blow my book sales in
Europe?
there's a bluebird in my heart that
wants to get out
but I'm too clever, I only let him out
at night sometimes
when everybody's asleep.
I say, I know that you're there,
so don't be
sad.
then I put him back,
but he's singing a little
in there, I haven't quite let him
die
and we sleep together like
that
with our
secret pact
and it's nice enough to
make a man
weep, but I don't
weep, do
you?


C. Bukowski in The Last Night of the Earth Poems. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1992.

3 comentários:

Leandro Jardim disse...

Gostei da tradução, bacana o poema!

Notei o banner ali na direita, tá em campanha é, meu caro?

Lucas Nicolato disse...

obrigado, leandro.
gosto bastante desse poema, mas a tradução dificilmente pode ficar a altura. "bluebird" é uma palavra impossível.

quanto ao banner, apenas um apoio discreto. não vejo alternativa se quisermos um rio de janeiro menos absurdo.

um abraço,
lucas

fantasma disse...

tomei a liberdade de postar....
http://igrejadosloucos.blogspot.com/2011/08/poesia.html